Curta a nossa página!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Joaninha de Biscuit Passo a Passo.


Aprenda como fazer passo a passo essa linda peça em biscuit uma joaninha que é uma graça pra enfeitar quarto de bebê, tampa de pote, enfim, muitas outras idéias podem ser usadas com essa peça.
Fonte:Artesanato Brasil.



Download part 1


Download part 2


Dia da independência do Brasil - Veja como comemorar com seus alunos esse dia!!!

(Clique nas imagens para melhor visualização)

Para comemorar o 7 de setembro, trabalhe com os alunos atividades que envolvam os símbolos nacionais, como a bandeira e o mapa, e desperte, desde cedo, o interesse pela história do nosso País.

Eixos temáticos: Natureza e Sociedade e Linguagem Oral e Escrita.

Responsáveis: Izildinha Houch Micheski, pedagoga e jornalista.

Objetivos: Proporcionar o conhecimento da história nacional e desenvolver o sentimento de amor à Pátria.

Idade: a partir de 5 anos.

Número de participantes: Todos os alunos.

Tempo de preparação: 1 hora.

Tempo de execução: 1 Semana

Conheça também: o livro 7 de setembro de 1822: a Independência do Brasil (Cecília H. de S. Oliveira, Ed. Nacional).

HISTÓRIA DA INDEPENDÊNCIA:

Era uma vez um País chamado Brasil, que foi descoberto, segundo conta a história, por Pedro Álvares Cabral, que veio de Portugal. Porém há quem acredite que a história não seja bem essa.
Alguns acham que foram os índios que o descobriram, isso porque eles já viviam aqui com suas famílias e muitos animais, os mais lindos que se podia imaginar. Mas foi chegando mais gente e, a cada dia, mais e mais...
O Brasil, então, ficou sendo de Portugal, um País bem distante, onde moravam o Rei, a Rainha e toda a família Real. Eles vieram ao Brasil.
O filho do Rei, o Príncipe Dom Pedro, gostava muito daqui. Passado algum tempo, o Rei e a Rainha tiveram que voltar para Portugal e o Príncipe ficou governando nosso País. Ele ainda era criança. Os Brasileiros gostavam muito do Príncipe. Até que um dia ele cresceu e o seu pai lhe mandou uma carta, ordenando que retornasse à Portugal. Dom Pedro ficou muito bravo, não queria ir embora e, às margens do Rio Ipiranga, no dia 7 de Setembro de 1822, levantou sua espada e gritou: "INDEPENDÊNCIA OU MORTE" e, a partir desse dia, pela coragem do Príncipe, o Brasil ficou livre do domínio do Rei de Portugal, D. João VI. E todos sonharam em viver felizes para sempre.
BANDEIRA DO BRASIL

Materiais: Canetinhas coloridas; cartolina verde; cola branca; folhas de sulfite tamanho A4; fita crepe; giz de cera triangular com 12 unidades, da Acrilex; ilustrações das formas geométricas referentes à bandeira do Brasil (estão prontas na folha de moldes); palitos de churrasco sem ponta; régua; régua de letras vazadas; tesoura com ponta arredondada.

1- Recorte as figuras geométricas referentes à bandeira do Brasil da folha de moldes. Em seguida, recorte um retângulo de 32x50 cm de cartolina e trabalhe com ele na vertical. Com a ajuda da régua, divida esta folha em três partes iguais, com 16,5 cm de algura cada. Em cada uma dessas porções, cole, próximo à margem esquerda, uma das figuras correspondentes à bandeira, seguindo a ordem: retângulo, losango e círculo.

2- Ao lado de cada figura, escreva a cor correspondente a ela em português e, embaixo desta palavra, em inglês. Ou seja, próximo ao losango, "amarelo" e yellow"e, ao lado círculo, "azul" e "blue".

COLOCANDO EM PRÁTICA



1- Depois de confeccionar o cartaz segundo o passo-a-passo descrito acima e fixá-lo na parede da sala de aula, converse com os alunos sobre as diferentes formas geométricas e a maneira que se escreve cada uma das cores. Então, estimule-os a fazerem sua própria bandeira. Para isso, entregue para cada criança uma folha de sulfite e um kite de giz de cera. Em seguida, diga para começarem a desenhar e a pintar a bandeira, com base na referência das cores e formas presentes no cartaz. Depois da ilustração pronta, peça que os alunos recortem-na.

2- Solicite que as crianças colem um palito de churrasco sem ponta no verso da lateral esquerda da bandeira, formando o mastro.

QUEBRA-CABEÇA

MATERIAIS: Molde do quebra-cabeça (está pronto na folha de moldes); papel adesivo transparente; tesoura com ponta arredondada.

COLOCANDO EM PRÁTICA

Oriente os alunos a pesquisar com suas famílias e em materiais bibliográficos os símbolos na cionais, como a bandeira e quem a idealizou, o brasão, a moeda da época da independência e a de hoje, o primeiro selo, o Hino da Independência e seu autor. Trabalhe os significados da frase "Ordem e Progresso" e da letra do Hino Nacional. Em seguida, comente sobre a constelação, dizendo que, por exemplo, as estrelas são designadas por letras do alfabeto grego (alfa, beta, gama, delta etc.), de acordo com o brilho que elas têm. Por fim, proponho a montagem do quebra-cabeça da bandeira do Brasil. Para isso, tire cópias do modelo presente na folha de moldes e recorte-as, de forma a entregar um exemplar para cada criança. Solicite que elas montem o quebra-cabeça, seguindo o desenho da bandeira do Brasil.


JOGO DAS ESTRELINHAS COLORIDAS

Materiais: Cola branca, desenhos do mapa, das estrelas e molde do dado (estão prontos na folha de moldes); folhas de papel sulfite A4; papel adesivo transparente; tesoura com ponta arredondada.



PASSO-A-PASSO FEITO PELO EDUCADOR
Recorte o mapa, as estrelas e o dado da folha de moldes. Encape o mapa com o papel adesivo transparente e cole-o em uma folha de sulfite. Depois, monte o dado, unindo suas abas com cola.
COLOCANDO EM PRÁTICA
Divida os alunos em grupos com 4 participantes. Tire cópias das ilustrações presentes na folha de moldes, de forma que cada "time" receba 27 estrelas, um mapa do Brasil e um dado. Decidido quem inicia o jogo, o primeiro aluno joga o dado e coloca, conforme o número que "cair", uma ou duas estrelinhas sobre os estados (no caso de tirar "2" no dado, põe uma estrelinha em cada local que escolher). Em seguida, a criança, com a ajuda dos amigos, tenta descobrir o nome do lugar selecionado. Se ninguém souber, você deve intervir. O jogo termina quando todas as estrelinhas forem colocadas no mapa. Se grupo possuir apenas 1 estrelinha e a criança tirar "2" no dado, passa para o próximo jogador, até que se atinja o número 1. Como este é um jogo cooperativo, o objetivo não é fazer com que as crianças ou grupos compitam entre sim, mas, sim, que se ajudem. No fim da atividade, monte um cartaz com a lista dos nomes dos Estados, através de uma construção coletiva.



MEU ESTADO

TEATRINHO

Materiais: big giz cera triangular, com 12 unidades, da acrilex, caixa de papelão; cola branca; fita adesiva transparente; 4 folhas de papel kraft; papel celofane azul; papel crepom nas cores verde e marrom; papel espelho; roupas usadas.

COLOCANDO EM PRÁTICA

1- Alguns dias antes de iniciar a atividade, peça aos pais das crianças que mandem roupas de adultos usadas e acessórios como chapéus, cintos, bolsas, brincos, colares, sapatos, sombrinhas, fitas e luvas para a realização de uma peça de teatro. Então, no dia marcado, conte novamente a "HISTÓRIA DA INDEPENDÊNCIA" e "provoque" as crianças para elas se colocarem como os personagens do conto e expressarem o que fariam em diferentes situações. Convide-as, então, para realizar uma oficina de teatro. Ensaie com os alunos que querem participar da peça e, aos mais tímidos, dê tarefas como montar o cenário, auxiliar nas vestimentas etc. Não deixe ninguém de fora. Una, pelas laterais, as 4 folhas de papel kraft com fita adesiva transparente e entregue-as, com o restante do material, para as crianças desenharem e "decorarem" o cenário da Independência.

2- Fixe o cenário pronto na parede da sala de aula. Em seguida, encape uma caixa de papelão com o papel espelho e diga que ela será o guarda-roupa dos personagens. Coloque as roupas trazidas de casa dentro dela e peça para as crianças se "fantasiarem" de acordo com o papel que têm na história. Promova a apresentação da peça. Isso beneficiará o precesso de aquisição da autoconfiança e da desinibição.

Fonte: Projetos escolares ed. infantil. nº 5.

JOGO DAS ESTRELINHAS COLORIDAS, TEATRINHO DA INDEPENDÊNCIA, QUEBRA-CABEÇA DA BANDEIRA, BANDEIRA DO BRASIL, HISTÓRIA DA INDEPENDÊNCIA, ATIVIDADES DA INDEPENDÊNCIA, ATIVIDADES DE 7 DE SETEMBRO.

MOLDES DA BANDEIRA:






MOLDES DO JOGO DAS ESTRELINHAS COLORIDAS






MOLDES DO QUEBRA-CABEÇA



MOLDES DO MEU ESTADO


(CLIQUE NAS IMAGENS PARA MELHOR VISUALIZAR)

domingo, 30 de agosto de 2009

Livrinho: Quem ficou na cama?-Trabalhando a subtração - matemática de forma divertida!




Trabalhando a subtração com a criançada de forma divertida e produtiva...
Através da produção do livrinho vamos trabalhar a produção de texto, produção de história matemática, Raciocínio lógico, contagem, registro de uma forma divertida que as crianças amam aprender assim... Essa sugestão não lembro de onde retirei, pois eu sempre faço com os meus alunos da sala e faz tempo que tenho nos meus arquivos, quem souber da autoria dessas atividades me avise para eu dar os devidos créditos. um beijo, espero que vocês gostem...




















sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Livro Rato de Teatro para download.


O mundo do teatro passa a ser o pano de fundo para os atos dessa "peça" protagonizada por Caco, o rato, e Maria Clara, a atriz, que deixam de ser coadjuvantes de uma história de bastidor para tornar-se as principais personagens deste livro.
editora: Global, autora: Paula Sandroni. ilustrações: Elisabeth Teixeira. Coleção Magias infantis.

Tá curioso? faça o download - clique na imagem da capa do livro.

Piolho - um tema para o ano todo!!! Xô, piolho!

Objetivos:

* Conscientizar para a problemática da pediculose
* Estimular a linguagem oral e o desenvolvimento motor


Faixa etária:

* de 4 a 5 anos.


Hummm, percebeu que um aluno não para de esfregar a cabeça? Esse é um gesto comum de quem pode estar sofrendo com pediculose, doença provocada pela infestação do inseto Pediculus humanus capitis - o famoso piolho. Ele se alimenta do sangue do couro cabeludo e atinge preferencialmente crianças em fase escolar. Segundo Gennaro Preite, consultor técnico da Condor, ao contrário do que se pensa, o bichinho aparece em fios cheirosos e saudáveis independentemente da classe social e idade. "Ele gosta de cabeça limpa. Portanto, quem lava os fios diariamente também corre o risco de ser afetado pela problema." O piolho vive entre 30 a 45 dias, não tem asas nem pernas adaptadas para o salto. A transmissão ocorre pelo vento, já que ele é facilmente "carregado". Outra forma de contágio é o contato direto, como abraços e convivência em ambientes pequenos. Por esse motivo, há alta incidência em crianças que brincam e compartilham objetos. O que fazer? Apostar na "receita da vovó", usando um pente fino. "Deve-se lavar os fios com o xampu normal ou especial e passar, durante o banho e várias vezes ao dia, o pente nos cabelos", ensina.

Atenção!

O uso do medicamento só é recomendado com prescrição médica. Utilizar, também, de panos úmidos com inseticidas é trminantemente proibido. "Muito comum no passado, principalmente no interior do Brasil, essa forma de acabar com o problema é extremamente prejudicial à saúde de quem o aplica ou recebe", alerta Gennaro Preite.

Você sabia?
Com base no Departamento de Biologia do Instituro Oswaldo Cruz (IOC), de 30 a 40% das crianças brasileiras estão infestadas com o piolho.

BRINCAR E COÇAR É SÓ COMEÇAR

Em uma roda, com todos sentados no chão, estimule os alunos a Ppntar sobre o piolho com as seguintes perguntas: quem no grupo já teve a doença ou conhece alguém que teve? Como era ter de ficar se coçando o tempo todo? Doía? Onde acha que pegou piolho? Como sarou? Demorou muito? Para verificar se a criançada realmente compreendeu a troca de informação, ajude-os a fazer uma família de piolhos com materiais alternativos e um teatrinho de fantoche, contando uma historinha sobre como se prevenir e que cuidados tomar quando "pegar" piolhos. E fique de olho: se a criança apresentar algum desses sinais - feridas na cabeça de correntes do ato de coçar: piolho ou lêndeas nas sobrancelhas e nos cílios; marcas vermelas de picadas e gânglios inchados no pescoço (íngua) - é fato: ele está contaminada. Segundo o site www.piolho.org.br, deve-se avisar quanto antes a direção da escola. A omissão do fato pode provocar uma grande "epidoceira" (epidemia + coceira), pois ainda tem gente que relaciona a falta de higiene com a aparição do bichinho. E nós já sabemos que não é bem assim que funciona...



Fantolhos!

*As crianças podem montar um teatro com os "fantolhos" e se apresentarem nas outras classes, mostrando para toda a escola sobre o piolho e as maneiras de identificá-lo e combatê-lo.

Saúde – Xô, piolho! (página 26)

Pedro e a família Cascudo

Um dia uma família de piolhos,
a Cascudo, estava procurando um lugar para morar.
Mas ela não queria morar em qualquer lugar.
Tinha de ser um local limpinho,
cheirozinho, bem arrumado e como muita comida!
Após muito procurar, pai, mãe e filho encontraram a casa perfeita!
Muito bonita essa cabeleira! Grande e vasta!
Cheia de graça! Adivinha aonde era a nova casa da família Cascudo?
A sua nova casa era uma cabeça! E essa cabeça era bem cabeluda!
E com muita comida!
A família Cascudo logo se ajeitou e montou sua casa bem bonita.
A mamãe piolho logo tratou de ter vários filhotes — um monte deles:
mais de 100!!!
Só que tinha um problema,
a cabeça onde eles moravam era de uma criança que se chamava Pedro.
Ele não gostava nadinha de ter uma família enorme morando em sua cabeça,
pois coçava muito e acabava incomodando.
Pedro dizia: “Que chato! Ter piolho é uma chatice!”.
Os amiguinhos da escola não queriam mais brincar com Pedro por causa dos piolhos.
Ele ficou triste, mas entendeu, porque sabia que quem tem piolhos passa para a outra criança que não tem.
A mamãe do Pedro logo percebeu e despejou a família de piolhos de sua cabeça com um pente fino.
O que aconteceu?
Os Cascudos foram morar em baixo de um sofá velho, em outra casa, meio abandonada, junto com as pulgas e os percevejos!

MOLDE SR. E SRA. PIOLHO.


SOCORRO!

*Ligue para o Disque-Piolho - tel. (21) 2598-4379, ramal L26 -, de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas. O serviço oferecido pelo Instituro Oswaldo Cruz - IOC é gratuito, sendo cobrado apenas o custo da ligação telefônica.

Vamos acabar com esse pestinha

Como se pega?

A infestação por piolhos recebe o nome de pediculose. Ela é transmitida pelo contato pessoal ou pelo uso de objetos de outro indivíduo infestado. Pode atingir qualquer pessoa, de qualquer sexo, idade ou classe social, com bons ou maus hábitos de higiene, mas ocorre principalmente em crianças de 3 a 10 anos.

Como prevenir?

A melhor prevenção é a observação. Examine frequentemente a cabeça das crianças.

Meu filho pegou piolho. E agora?

É preciso tomar algumas providências:

1) Comunique à escola

Eles comunicarão aos outros pais. Mais crianças podem estar infestadas e é importante tratá-las também, para que não ocorram, reinfestações.

2) Para evitar reinfestações

Lave com água bem quente as roupas de cama e objetos de uso pessoal ou mantenha-os fora de uso por, pelo menos, 2 semanas. Lave pentes e escovas com água bem quente por 5 a 10 minutos.

3) Use um pediculicida

É importante tratar a pediculose com pediculicidas, ou seja, medicamentos específicos para eliminar piolhos e lêndeas. É muito importante não utilizar inseticidas comuns, que podem até intoxicar a criança. O uso do pente fino também é imprescindível, pois auxilia na remoção dos piolhos e das lêndeas, complementando o tratamento.

Fonte: Guia Prático (para professores de Educação Infantil) nº 75. Abril 2009.

Fantoche para trabalhar o tema de piolho, Piolho, Molde para fantoche de piolho, História sobre piolho, Xô piolho, dúvidas sobre piolhos.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Atividades para a semana da Pátria - 7 de Setembro.



7 de Setembro:

Independência do Brasil

Dia da Independência do Brasil - Mini-projeto:

Pesquisa
Praticamente em todas as cidades há desfiles no dia 7 de setembro. Grupos de militares, de policiais, de estudantes e muitos outros participantes desfilam pelas ruas ao som de músicas chamadas marchas e dobrados.
Peça aos alunos que se informem a respeito de como é comemorada a data em sua localidade.

Adornos
Incentive os alunos a explorarem folhas de jornais de modo a criar espadas e chapéus para brincarem com a Marchinha (Caixa de idéias). Deixe que criem livremente e auxilie quando necessário.

TEXTO INFORMATIVO:
Desde que chegaram aqui, em 1500, os portugueses eram os donos de tudo o que havia no Brasil.
Muitos brasileiros estavam descontentes com os portugueses e queriam que o Brasil fosse um país livre e independente. Mas os portugueses insistiam em mandar em tudo.
Depois de mais de 300 anos de mando português, no dia 7 de setembro de 1822, o príncipe D. Pedro I proclamou a independência e se tornou o primeiro imperador do Brasil.Desde então, somos reconhecidos como um país independente.
Cante com seus alunos a marchinha do Soldado. Se eles quiserem, encenem com chapéus e espadas feitas de jornais.

CANTE:
Marcha soldado,
Cabeça de papel.
Se não marchar direito
Vai preso pro quartel.
O quartel pegou fogo.
Maria deu o sinal.
Acode, acode, acode
A bandeira nacional.
Fonte-Jogos e brincadeiras infantis.

Atividades para a semana da Pátria / Atividades para o dia 7 de Setembro / Atividades para o dia da Independência do Brasil.




























LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Folheados