Curta a nossa página!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Volta às aulas - Projeto Ano Novo Vida Nova.

COMECE O ANO PROMOVENDO A SOCIALIZAÇÃO DA GAROTADA E A VALORIZAÇÃO DA IDENTIDADE DE CADA UM.

EIXOS TEMÁTICOS: Natureza e Sociedade; Linguagens Oral e Escrita; Artes Visuais; Identidade e Autonomia; Matemática e Movimento.

OBJETIVOS: Promover a socialização e a valorização da identidade; Construir o significado e a função da escrita no meio de dinâmicas que ensinam, ao mesmo tempo ao mesmo tempo em que divertem, enquanto aprendem interagindo no universo da infância; desenvolver a construção do conhecimento lógico-matemático.
IDADE: A partir de 3 anos.
GALERIA DA CRIANÇADA
MATERIAIS: Canetinhas coloridas; cartolina ou folhas de papel kraft; cola branca; fita adesiva colorida; foto 3x4 de cada criança; folhas de papel sulfite tamanho A4 coloridas; tesoura com ponta arredondada.
COLOCANDO EM PRÁTICA
Promova uma roda de conversa em um espaço aberto, a fim de cultivar a afetividade e a interação, para que as crianças se sintam acolhidas, livres e seguras. Após ter se apresentado, fale sobre a importância de frequentar a escola e de fazer novos amigos ou reneontrá-los. Com o objetivo de promover a interação, inicie uma dinâmica, propondo que os alunos observem se reconhecem, no grupo, algum amiguinho de outros espaços, como lugares públicos da vizinhança. Questione-os se há algum parente na sala ou se não tiveram oportunidade de se conhecer. Deixe-os à vontade para que se relacionem e se expressem. Faça um crachá de identificação para cada aluno. Para isso, tire uma cópia colorida da fotografia entregue na secretaria no ato da matrícula ou solicite aos pais que enviem para a escola uma foto 3x4 das crianças. Cole cada foto no centro de um quanto de folha de papel sulfite e escreva abaixo o nome do estudante, em letrar bastão deixando um espaço de 4 cm na base. Confeccione, também, um cartaz de pregas, dobrando a folha de papel kraft em formato sanfona e deixando cada dobra com 4cm de profundidade. Divida o cartaz em colunas com a fita adesiva colorida e adapte o tamanho de acordo com a quantidade de alunos, para que caibam todos os crachás. Enquanto finaliza o cartaz escrevendo os nomes das crianças, pela ordem da lista da chamada e em letra bastão, peça que todos fiquem bem quietinhos, e, com os olhos fechados, percebam e tentem identificar os diferentes sons ao redor. Depois, coloque uma música para tocar e solicite que, da mesma forma, percebam quais instrumentos estão presentes na melodia. Revele aqueles que não forem identificados e providencie uma ilustração deles para apresentar no próximo encontro.Feito esse exercício, distribua os crachás e oriente os alunos a encaixá-los no espaço correspondente do cartaz, cada um na sua vez, ao ouvirem seus nomes. Trabalhar com o nome da criança traduz um efeito emocional incomensurável, pois o difere, assim como sua escrita, de um nome comum. Trata-se da identidade de uma pessoa que se transformará - uma assinatura que identifica um sujeito. Quando a criança começa a escrever seu nome, inicia-se a compreensão da função social da escrita e acontece a motivação, que contribui com o processo de alfabetização.
JOGO DE BOLAS
MATERIAIS: Barbante; bexigas coloridas; Cd musical; papel sulfite tamanho A4; rádio portátil.
COLOCANDO EM PRÁTICA
Escreva o nome de cada aluno em um pedaço de papel sulfite e faça um canudinho, amarrando-o com um barbante. Coloque cada um deles em uma bexiga, enche-a e amarre a ponta. Apresente uma música popular animada e adequada, e explique que, enquanto a música estiver tocando, todos poderão brincar livremente com as bexigas jogando-as para cima, mas sem apertá-las. No momento em que a música parar, cada um tem que pegar uma bexiga, sentar-se sobre ela para estourá-la e procurar o canudinho de papel com um nome escrito. Em seguida, peça para as crianças sentarem-se em círculo. Cada uma na sua vez deve se levantar e procurar com quem está seu nome. Quando encontrar, o aluno deve agradecer e sentar-se no lugar do coleguinha que estava com o papel. Assim, o jogo continua até que todos tenham encontrado seus nomes.
AGENDA BEM BOLADA
MATERIAIS: Cola branca, fita decorativa, furador de papel, grampeador, lápis preto, papel sulfite tamanho A4, revistas.
COLOCANDO EM PRÁTICA
Auxilie a turma a fazer uma agenda personalizada. Para confeccioná-la, imprima o nome dos alunos em tiras de 5x22cm, na mesma quantidade de crianças existentes na sala de aula, e peça que recortem as letras do alfabeto de revistas. Grampeie 28 folhas de sulfite, ou faça dois furos em uma das laterais e prenda-as com uma fita decorativa, para formar a agenda. Distribua uma para cada estudante e oriente-os a identificar a sua com o nome. Em seguida, peça-lhes que entreguem uma tira de papel com o seu nome para cada companheiro. Ao final dessa tarefa, cada um terá, além da tira com o seu próprio nome escrito, uma com o nome de cada componente da sala. A primeira e a última páginas devem ser reservadas para a capa e a contra-capa. Nas demais folhas, peça para os alunos colarem, na parte superior de cada página, uma letra do alfabeto. Em seguida, oriente os estudantes a fixar cada nome na página da agenda que tenha a letra correspondente a sua inicial. Para as letras que não são iniciais de nenhum nome na sala, utilize nomes de celebridades a serem pesquisados. Permita que cada um possa ajudar o outro quando for preciso, pois, nessa cumplicidade, muito se aprende em termos de cooperação e solidariedade.
Solicite às crianças que pesquisem, nas revistas, a figura de uma pessoa com quem elas achem que se pareçam hoje. Quando tiverem feito a escolha, peça-lhes que recortem e colem a imagem sobre a primeira página da agenda, para formar a cada. Para a contra-capa, peça-lhes que retomem a pesquisa e procurem uma figura humana com quem elas acham que irão se parecer quando crescerem. Então, devem recortá-la e colá-la na última folha. Converse com cada criança para que ela verbalize sobre a decisão. Não deixe de observar os detalhes envolvidos em cada escolha, pois eles podem trazer, metaforizada, uma série de questões importantes, que contribuem para a compreensão do aluno e para os reflexos sobre o seu processo de desenvolvimento. É possível que alguns escolham pessoas famosas ou craques em alguma atividade, o que não implica apenas querer ser famoso, mas pedir para ser reconhecido, ser enxergadi como sujeito. A atividade, que tem a possibilidade de ser ampliada, ajuda a criança a se perceber por meio do outro.
AMPLIAÇÃO
Após concluída a agenda, trabalhe oralmente a primeira letra ou a primeira sílaba de cada nome, uma por dia. Complemente a atividade, solicitando aos alunos pesquisem e recortem, nas mesmas revistas ou jornais, figuras cujos nomes iniciem com cada letra e as colem na página correspondente, embaixo das tiras com os nomes trabalhados anteriormente.
A CAIXA DE NOMES
MATERIAIS: Caixa de sapato; caneta hidrográfica; cola branca; foto 3x4 de cada criança; papel-cartão; papel adesivo transparente; papel de presente; pepel sulfite tamanho A4; tesoura com ponta arredondada.
COLOCANDO EM PRÁTICA
Faça fichas com os nomes das crianças escritos com caneta hidrográfica, em letra bastão, num pedaço de papel sulfite no tamanho de 10x15cm, e cole a foto acima do nome. Cole cada ficha em papel-cartão e plastifique com o papel adesivo, para que fiquem mais firmes. Deixe pronta, também, a caixa, encapando-a com papel de presente e plastificando-a.Distribua para cada estudante uma ficha com seu nome. Oriente-os a observá-la e a fazer a reescrita. Trabalhe bastante essa atividade, pois a identidade da criança tem início com o reconhecimento de seu nome, tanto na forma escrita como oral.
AMPLIAÇÃO
Em um outro momento, organize as crianças em duplas e solicite que troquem as fichas entre si. Então, oriente-as a fazer a reescrita do nome do colega na parte superior de uma folha de sulfite e, após observação, desenhar o amiguinho. Reserve um tempo para os comentários, deixando os alunos livres para se expressarem. Após a realização das atividades, solicite que guardem as fichas na caixa
de nomes.
A cada dia, os alunos, um por vez, devem procurar seu nome na caixa. Quando todos estiverem com suas fichas em mãos, fale sobre as crianças que faltaram e mostre seus nomes. Explore as letras iniciais e finais de cada nome, incluindo amigos, familiares e professores. Trabalhe as letras maiúsculas e minúsculas, mostrando em quais situações cada uma é utilizada. Conforme critério estabelecido pelas crianças, escolha um estudante para fazer a contagem dos que estão presentes e outro para descobrir quantos faltaram.
Fonte: Projetos escolares ed. infantil. n. 44.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Folheados