Curta a nossa página!

sábado, 22 de agosto de 2009

Professor: o estresse da profissão. Fique de olho!!!

Sabemos que ser professor não é uma profissão fácil. Além das exigências que a própria profissão exige, este deve ter muito trato com pais, alunos e outros profissionais do ambiente escolar em que vive.
As responsabilidades são muitas, visto que deve ser organizado, preparar bem os planejamentos de aula, preencher os diários das aulas com os conteúdos abordados em cada dia e sob a tensão de não poder rasurá-los, participar de reuniões de pais, de reuniões internas e de grupos de estudo para manter-se atualizado e em constante formação.
Leva muito trabalho para fazer em casa, como elaborar provas, trabalhos, projetos articulando os conteúdos da grade curricular obrigatória, adequando-os aos temas transversais, etc.
Mas lidar com vários tipos de pessoas também é tarefa desgastante. Nem sempre as coisas acontecem como gostaríamos que fosse e o estresse nas relações pessoais é quase impossível de não aparecer. O professor tem que ter jogo de cintura para conviver com atitudes de terceiros, como mau humor, agressividade, reclamações, grosserias, interrupções das aulas, alunos agitados e inquietos, atividades que não saem como foram planejadas, levando-o a sentir-se frustrado e impotente.
Nessa luta constante ainda vemos que os professores convivem com o pouco reconhecimento de seu valor profissional, recebendo baixos salários, muitas vezes necessitam ter dois ou três empregos para conseguir manter-se financeiramente. Com uma carga de trabalho muito puxada, ao chegar em casa tem ainda que lidar com a família, filhos, cônjuges, e as obrigações referentes aos mesmos. Será que sobra pique e dinheiro para a diversão?
É preciso pensar e planejar-se para isso, pois com tanta carga e o excesso de trabalho pode chegar a sofrer de depressão. Na verdade, o professor deve tentar ser o mais prático possível, para organizar seu tempo, sua vida, de forma que não fique tão sobrecarregado. Deve evitar se ater a pequenos detalhes, tentar ser o mais dinâmico possível e aproveitar todos os momentos livres enquanto estiver na escola, para adiantar e organizar melhor seu trabalho, evitando levá-los para casa. Deixe que fiquem apenas os que não têm mesmo jeito de fazer na escola.
Organize um horário para fazer um passeio relaxante ou ainda uma atividade física, como caminhada, corrida, ir a um parque ou praça, sozinho ou com a família, de acordo com o que achar melhor. O importante é não abrir mão do tempo para descansar e se distrair, afinal, é um ser humano como outro qualquer e deve ser respeitado dentro das suas limitações.
Por Jussara de Barros
Graduação de Pedagogia
Equipe Brasil Escola


Poema para refletir...

Nasci no momento exato em que uma pergunta saltou da boca de uma criança.
Fui muitas pessoas em muitos lugares.
Sou Sócrates, estimulando a juventude de Atenas a descobrir novas idéias através de perguntas.
Sou Anne Sullivan, extraindo os segredos do universo da mão estendida de Helen Keller.
Sou Esopo e Hans Christian Andersen, revelando a verdade através de inúmeras histórias.
Sou Marva Collins, lutando pelo direito de toda a criança à Educação.
Sou Mary McCloud Bethune, construindo uma grande universidade para meu povo, utilizando caixotes de laranja como escrivaninhas.
Sou Bel Kauffman, lutando para colocar em prática o Up Down Staircase.
Os nomes daqueles que praticaram minha profissão soam como um corredor da fama para a humanidade...
Booker T. Washington, Buda, Confúcio,Ralph Waldo Emerson, Leo Buscaglia, Moisés e Jesus.
Sou também aqueles cujos nomes foram há muito esquecidos, mas cujas lições e o caráter serão sempre lembrados nas realizações de seus alunos.
Tenho chorado de alegria nos casamentos de ex-alunos, gargalhado de júbilo no nascimento de seus filhos e permanecido com a cabeça baixa de pesar e confusão ao lado de suas sepulturas cavadas cedo demais, para corpos jovens demais.
Ao longo de cada dia tenho sido solicitado como ator,amigo, enfermeiro e médico, treinador, descobridor de artigos perdidos, como o que empresta dinheiro,como motorista de táxi, psicólogo, pai substituto,vendedor, político e mantenedor da fé. A despeito de mapas, gráficos, fórmulas, verbos,histórias e livros, não tenho tido, na verdade,nada o que ensinar, pois meus alunos têm apenas a si próprios para aprender, e eu sei que é preciso o mundo inteiro para dizer a alguém quem ele é.
Sou um paradoxo.É quando falo alto que escuto mais.
Minhas maiores dádivas estão no que desejo receber agradecido de meus alunos.
Riqueza material não é um dos meus objetivos,mas sou um caçador de tesouros em tempo integral,em minha busca de novas oportunidades para que meus alunos usem seus talentos e em minha procura constante desses talentos que, às vezes,permanecem encobertos pela auto derrota.
Sou o mais afortunado entre todos os que labutam.
A um médico é permitido conduzir a vida num mágico momento.
A mim, é permitido ver que a vida renasce a cada dia com novas perguntas, idéias e amizades.
Um arquiteto sabe que, se construir com cuidado,sua estrutura poderá permanecer por séculos.
Um professor sabe que, se construir com amor e verdade, o que construir durará para sempre.
Sou um guerreiro, batalhando diariamente contra a pressão dos colegas, o negativismo, o medo, o conformismo,o preconceito, a ignorância e a apatia.Mas tenho grandes aliados: Inteligência, Curiosidade,Apoio paterno, Individualidade, Criatividade, Fé, Amor e Riso, todos correm a tomar meu partido com apoio indômito.(...)
E assim, tenho um passado rico em memórias.
Tenho um presente de desafios, aventuras e divertimento,porque a mim é permitido passar meus dias com o futuro.
Sou professor... e agradeço a Deus por isso todos os dias.
John W. Schlatter

2 comentários:

  1. os piores meses
    são
    junho e novembro
    a gente ja fica na pilha hihihihihih
    bjs mil no coçaão

    ResponderExcluir
  2. Muito boa esta reflexão.
    Muita gente fora de nossa profissão deveria ler....

    ResponderExcluir

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Folheados