Curta a nossa página!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Eu me amo!!! Trabalhando o comportamento de nossos alunos!!! Pense nisso. Ótima matéria.

A construção da auto estima começa dentro de casa e a aprtir do retorno que a criança tem das pessoas que convivem com ela. De acordo com Quézia Bombonatto, psicopedagoga e presidente nacional da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp), a família e o professor precisam estar atentos principalmente na fase entre três e sete anos, quando a criança está formando sua personalidade. " Se a criança fica sempre exposta a situações de insucesso, se não é valorizada pelo que faz, se ninguém destaca os seus acertos, ela não sabe por onde seguir", exemplifica. Para Quézia, são os sinais que a criança recebe que a fazem perceber que está indo pelo caminho certo. É claro que os pais e professores devem fazer correções e apontar os erros, mas nunca esquecendo de mostrqar também os acertos. "Se o professor e a família só destacam o que ela faz de errado, imagem ela construirá de si mesma? Que é um poço de coisas erradas. Por isso o elogio é muito importante", explica.

SEGURANÇA NA ESCOLA

Para Quézia, o período de adaptação escolar também é relevante na formação da autoestima. A criança precisa sentir que não está sendo abandonada pela mãe em um local estranho. "Talvez a mãe precise ficar na escola por algumas horas durante alguns dias até que a criança se sinta segura. Não deve haver competição entre a mãe e o professor nesse momento", ressalta. Além disso, a psicopedagoga lembra que quando a criança entra na escola, ela passa a buscar referências em outro grupo. Por isso, nesse momento, o professor tem o papel de mostrar a ela como se apropriar das experiências daquele grupo chamando-a para as atividades, promovendo o encontro com os novos colegas, ressaltando como é divertido brincar com os amigos e garantindo que não fique em posição de submissão diante das crianças que já estavam na escola.

CONFORTO + ATENÇÃO = AMOR

A criança só vai gostar de estar na escola se perceber que as pessoas que a rodeiam se preocupam com o seu conforto, por isso o professor deve estar atento para promover o alívio de possíveis ansiedades, aflições e desconfortos que ela possa sentir. A criança que sempre é confortada em casa associa essa atenção ao carinho e amor que sentem por ela e quando se sente amada, passa a se amar também e é capaz de amar os outros. Então, segundo Quézia, a probabilidade de ela ter atitudes positivas na escola aumenta muito. Porém, a psicopedagoga lembra que alguns professores têm a tendência de dar mais atenção aos "melhores" alunos, fazendo com que aqueles que não "acertam" tanto tentem chamar a atenção com atitudes negativas. "A diferença do professor é muito dolorida para o aluno", afirma.

SINAIS DE BAIXA AUTOESTIMA

* Indisciplina ("Se eu não consigo chamar a atenção com algo positivo, eu vou chamar com algo negativo");

* Distanciamento do grupo;

* Falta de participação nas atividades propostas;

* Submissão contínua ao grupo (a criança que dá tudo o que é seu para os colegas, que compra doces para os amigos diariamente, que aceita papéis secundários nas brincadeiras etc.).

DICA DE LIVRO!

* O despertar da Auto-estima - De 0 a 6 anos, de Danielle Laporte (Editora Paulus).

DICAS PARA O PROFESSOR!

* Procure mostrar por meio da atenção, de elogios e do afeto o quanto cada criança é importante no grupo;

* Demonstre confiança no potencial da criança, dando responsabilidades a ela, deixando que ela tome pequenas decisões;

* Diga sempre o que você quer que a criança faça, não o que NÃO quer que ela faça;

* Premie as atitudes prositivas, por exemplo, com recadinhos de incentivos na agenda;

* Lembre-se de que todo aluno tem algo de bom a oferecer e mostre a eles suas quantidades;

* Não faça alarde dos erros dos seus alunos. Faça críticas de forma reservada e discreta;

* Evite rotular seus alunos positiva ou negativamente, pois ninguém é sempre bom ou mau;

* Esteja atento à baixa autoestima que vem de casa (crianças que se sentem abandonadas ou rejeitadas, crianças que se sentem culpadas pela separação dos pais etc.) e reforce atitudes que elevem a autoestima;

* Incentive trocas de papéis nas atividades em grupo, por exemplo, não deixe que a mesma criança seja sempre a gandula no jogo de futebol.

Fonte: Guia Prático pra professores de Educação infantil. nº 74.

Um comentário:

  1. Olá, professora Joelma! Acessei seu blog por acaso e vi que você se esforça pra manter o site suber bonito e bombando, né?

    Seguinte estou divulgando um Festival de cinema de filmes de um minuto feitos pela galera de até 14 anos. Já entrei em contato com vários blogueiros e estou agora entrnado em contato com você pra ver se naõ tem interesse em divulgar no seu blog ou até participar, ok?

    Aí vai meu MSN: luisa.minuteen@hotmail.com

    ResponderExcluir

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Folheados